Conheça os benefícios dos chás e infusões

Companheiros diários de muitas pessoas, chás e infusões combinam com diversos momentos, seja para iniciar o dia, acompanhar um bate-papo à tarde ou para relaxar antes de dormir. O fato é que eles são considerados “bebidas para o conforto” e saber como consumi-los pode trazer diversos benefícios ao longo do dia.

“Primeiramente, é importante diferenciar as terminologias: pode-se chamar de ‘chá’ as infusões feitas a partir das diversas variedades de folhas da Camellia Sinensis. Outras bebidas feitas a partir de folhas e outras partes de diferentes plantas ou ervas não são chamadas de ‘chá’, são apenas ‘infusões’”, afirma Hellen Maluly, doutora em Ciência de Alimentos e consultora do Comitê Umami, organização responsável pela divulgação do quinto gosto básico do paladar humano no Brasil.

Conheça os tipos de chás ou infusões que podem ajudar a lidar com o estresse, melhorar a digestão e auxiliar na prevenção de doenças

Em saquinhos ou preparados a partir da planta in natura, os chás e infusões conseguem agradar os mais variados paladares com seus diversos tipos e funções. “Além de ajudarem na hidratação diária, essas bebidas podem ter um caráter levemente adocicado, como infusões de erva-doce ou cidreira; amargo, como o chá de boldo; azedo, quando utilizar a flor de hibisco, e umami, o gosto presente no chá verde e em alguns tipos de kombucha, que são bebidas feitas a partir da fermentação do chá verde”, explica Hellen.

Para aproveitar os ganhos à saúde, Hellen Maluly preparou uma lista de chás e infusões e algumas recomendações sobre quais deles procurar e por quê.

Camellia sinensis

Existem diferentes variedades de chás produzidos a partir da Camellia sinensis. De acordo com a UK Tea and Infusions Association (Associação Inglesa de Chás e Infusões), há relatos científicos que sugerem diversos benefícios associados ao consumo de chá preto, chá verde, chá tipo oolong e pu-erh (chá pós-fermentado ou envelhecido), por exemplo. Além do prazer proporcionado pela harmonização entre a leve adstringência, provocada pela presença de taninos (polifenóis) e umami, por conta da presença de aminoácidos, como o glutamato, existem indícios de que essas substâncias também podem auxiliar no balanço da microbiota intestinal.

Outra particularidade é sua colaboração para a redução do risco de demências, obesidade, câncer, diabetes e doenças cardiovasculares por conta, principalmente, da presença de polifenóis, antioxidantes que podem contribuir para o cuidado dessas doenças.

Erva-doce

Originária do Mediterrâneo, as sementes de erva-doce possuem antioxidantes capazes de atuar na prevenção de doenças gastrintestinais, diabetes e hipertensão. “Além disso, seu óleo essencial, que normalmente não pode ser obtido em quantidades adequadas em infusões, mas pode ser adquirido em farmácias especializadas em fitoterapia, pode ter atividade antifúngica ou antibactericida, além de efeitos anti-inflamatórios e hepatoprotetores”, afirma a consultora do Comitê Umami.

Normalmente não há necessidade de adoçar esse tipo de infusão, pois ele é naturalmente saboroso por conta de seus aromas adocicados e refrescantes, que podem gerar uma sensação de tranquilidade.

Camomila

A infusão de camomila é ótima para relaxar. Essas flores, que parecem margaridinhas, são um verdadeiro calmante natural. Tomar uma xícara 45 minutos antes de ir para cama pode ajudar a dormir mais rápido. A Camomila também possui propriedades antioxidantes, que podem auxiliar na prevenção de danos às células do fígado, cólon e até pulmões.

Outra indicação é a utilização em compressas para aliviar inchaços e inflamações. Prepare o chá como de costume e reserve na geladeira. Em casos de olheiras, age nos vasos sanguíneos dilatados. Além de hidratar, também suaviza o aspecto da pele.

Hibisco

Com a presença de antocianinas nessas lindas e aromáticas flores, foi possível comprovar suas propriedades bioativas como antioxidantes e antimicrobianas. Além disso, o seu sabor, que se mistura facilmente com gostos levemente ácidos e adocicados, e seu aroma agradável podem ajudar no processo de hidratação pelo aumento no consumo de líquidos refrescantes.

UMAMI

É o quinto gosto básico do paladar humano, descoberto em 1908 pelo cientista japonês Kikunae Ikeda. Foi reconhecido cientificamente no ano 2000, quando pesquisadores da Universidade de Miami constataram a existência de receptores específicos para este gosto nas papilas gustativas. O aminoácido ácido glutâmico e os nucleotídeos inosinato e guanilato são as principais substâncias umami. As duas principais características do umami são o aumento da salivação e a continuidade do gosto por alguns minutos após a ingestão do alimento. Para saber mais, acesse www.portalumami.com.br e acompanhe também pelas redes sociais facebook.com/ogostoumami e instagram.com/ogostoumami.

Sem comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.