A alimentação saudável e o intestino

Salada de Vinagrete para o verão

Diversos estudos nos últimos tempos vêm demonstrando a importância do bom funcionamento do intestino para a saúde como um todo e consequentemente para o emagrecimento de forma saudável e eficaz.

A função primária do intestino consiste em absorver água e nutrientes no organismo, mas nos cabe lembrar que essas são apenas funções primárias diante da infinidade de funcionalidades do intestino, alguns especialistas o tem chamado de “segundo cérebro”.
Você sabia que há mais nervos no intestino do que na coluna vertebral? Esses nervos transmitem importantes mensagens ao cérebro e um número cada vez maior de estudos indicam que não podemos tratar totalmente problemas mentais e psiquiátricos sem levar em consideração o intestino. Isso porque a relação entre o cérebro e o intestino é muito parecida com uma via de mão dupla.

Um estudo que ganhou a capa da revista científica Science no início do ano passado, analisou a resposta do paciente oncológico à imunoterapia com base na qualidade da flora intestinal, apontando que a manutenção do microbioma saudável poderia ajudar no combate ao Câncer de maneira mais eficaz.

A relação entre intestino saudável e emagrecimento também é muito relevante, pois o metabolismo é o segredo do emagrecimento e o microbioma saudável é o segredo do metabolismo.

Como afirma o Dr. Raphael Kellman: “Um microbioma em desequilíbrio irá subjugá-lo e fazê-lo sentir vontade de comer doces e gorduras nocivas, tornando seu metabolismo mais lento e aumentando seu apetite.”

Concluindo, nossa saúde intestinal é absolutamente imprescindível para o metabolismo, o apetite, o desejo incontrolável por determinados alimentos e o peso corporal, sem mencionar o humor, a aparência física, níveis de energia e a capacidade de resistir ao estresse e a infecções.

Como dizia Hipócrates: “Todas as doenças começam no intestino”

E o que fazer para ter um microbioma saudável? Um intestino funcionando regularmente?

1- Insira alimentos Prebióticos (irão nutrir as bactérias saudáveis já existentes no seu microbioma) e Probióticos (bactérias saudáveis que irão restabelecer seu microbioma)
Exemplos: Prebióticos (biomassa de banana verde, alho, alho poró, aspargo, cebola, cenoura, rabanete, tomate)
Probióticos (Yorgute natural, Kefir de água e de leite, Kombucha, vegetais fermentados, ou você pode mandar manipular diferentes cepas probióticos consultando com um bom profissional)

Os probióticos tem um papel muito especial no nosso microbioma. Eles:

  • Fortificam o revestimento intestinal e reduzem a permeabilidade do intestino
  • Reduzem o LPS molécula inflamatória que pode ser perigosa caso atinja a corrente sanguínea
  • Aumentam o BDNF (fator neurotrófico derivado do cérebro ) intimamente conhecido como hormônio do crescimento do cérebro.
  • Sustentam o equilíbrio geral das bactérias afastando quaisquer colônias “do mal”
    Auxiliam na perda de peso (gasseri e rhamnosus)

2- Repare o revestimento das paredes intestinais que provavelmente ficaram impermeáveis com uma alimentação inflamatória.
Exemplos: Glutamina (suplemento)- um bom aporte de glutamina contribui para a integridade dos intestinos ajudando a selar possíveis microfissuras, como as que ocorrem na síndrome do intestino permeável.

3- Elimine alimentos que promovem o desequilíbrio do microbioma, causando uma resposta altamente inflamatória.
Exemplos: Açúcar, adoçantes, alimentos ultra processados, farinhas refinadas de índice glicêmico alto (farinha de arroz, polvilho,etc), xarope de milho, gorduras hidrogenadas, gordura trans, GLÚTEN, óleos vegetais (canola, soja, milho, girassol), lactose, grãos não fermentados.

São mudanças simples de estilo de vida, mas que irão produzir benefícios para uma vida inteira.

Referências
KELLMAN; Raphael. A Dieta do Microbioma. 1ª ed. São Paulo: Cultrix, 2017.396p
PERLMUTTER, David. A Dieta da Mente para a Vida. 1 Ed. São Paulo: Paralela, 2017.279p.

Mônica Rocha

Sem comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.