César Santos fala sobre a Sparkling Wine Fair

cesar_santos_swf

Maior evento da cidade dedicado ao espumante, a Sparkling Wine Fair (SWF) acontecerá no Pontão do Lago Sul das 18h à 1h nesta sexta-feira (14/9) e sábado (15/9). O empresário César Santos, idealizador da iniciativa, conversou com o 3 Talheres e antecipou detalhes dessa, que deve ser a maior edição já feita. Confira a entrevista e descubra um pouco mais sobre o cenário do espumante por quem está por dentro do assunto:

César Santos fala sobre a Sparkling Wine FairQual a importância de uma feira como a Sparkling Wine Fair?

O consumo de espumantes vem em uma crescente nos últimos anos tanto no Brasil quanto no mundo, e eventos com a SWF vêm reforçar que não existe uma hora, preço ou momento certo para apreciar um bom rótulo. O espumante nacional ou importado pode fazer parte de diferentes ocasiões, principalmente em lugares tropicais como nosso país, onde uma tacinha gelada cai bem tanto de dia quanto à noite. A feira também ajuda na desmistificação de que o espumante é algo exclusivo do público A. No salão, temos excelentes rótulos para degustação que podem ser encontrados no mercado na faixa de R$ 50. O evento também ajuda os que estão iniciando nesse consumo a descobrirem qual a uva, método de produção ou região que agrada mais o paladar. São mais de 140 rótulos para degustação nos dois dias de feira com vinícolas da América Latina, Europa, Austrália e, claro, os nossos produzidos em diferentes regiões do país.

Essa será a terceira edição do SWF. O que há de novo nessa edição do evento?

A principal novidade deste ano é a Festa SWF, com shows exclusivos da cantora Patrícia Medeiros e os DJs oficiais Thiago May e Puppy Bougleux. Também, pela primeira vez, o evento vai contar com um bar exclusivo, que dará início às vendas dos seus quatros drinks às 23h, para o público presente. Nessa edição também tivemos um aumento no número de vinícolas, que passou de 40 e de expositores. Temos mais de 60 empresas envolvidas na feira.

“Já nos firmamos como o evento de abrangência nacional de maior tamanho dedicado exclusivamente ao espumante”

A SWF se tornará um evento fixo e anual no calendário das atividades culturais do DF?

Já nos firmamos como o evento de abrangência nacional de maior tamanho dedicado exclusivamente ao espumante. Estamos no nosso terceiro ano e as pessoas já se programam e querem antecipações de novidade no fim do primeiro semestre do ano para participar do nosso salão.

Qual o público esperado para o evento? Qual é o perfil desse público?

Estamos com expectativa de receber cerca de 1500 pessoas por dia no evento. Nos anos anteriores tivemos um feedback muito positivo do público a respeito dos frequentadores que, em sua maioria, vão realmente para conhecer mais sobre a bebida, aprimorar o gosto e descobrir mais da gastronomia da cidade com os estandes de alimentação presentes na feira. Ficamos felizes em saber que nosso público vai realmente pela qualidade do que oferecemos e não só pelo consumo de álcool sem critério.

Vinhos e espumantes ainda não estão no hábito de consumo do brasileiro. Por quê?

As pessoas ainda associam tanto o vinho quanto o espumante à algo esnobe ou acham que não conseguem pagar e ainda que não têm paladar para essas bebidas. Mas a verdade é que as vinícolas trabalham inclusive com rótulos de entrada, de fácil aceitação para quem está começando, para assim, aos poucos, a pessoa ir descobrindo qual tipo de bebida combina com ela. Eventos como a SWF chegam para ajudá-las a quebrar essas barreiras.

“A democratização do consumo não afeta em nada o glamour de tomar um espumante em momentos especiais. Assim como há rótulos de entrada, temos na feira também produtos exclusivos”

O espumante é associado a momentos de comemoração e conquista. Popularizar o espumante pode afetar a imagem de sofisticação e exclusividade da bebida?

De forma alguma. A democratização do consumo não afeta em nada o glamour de tomar um espumante em momentos especiais. Assim como há rótulos de entrada, temos na feira também produtos exclusivos, de produção restrita e métodos complexos e de longa duração que valorizam o consumidor que procura por exclusividade ou personalização na hora de beber um bom espumante.

O que o público pode esperar dessa edição da SWF?

A maior edição que a feira já teve desde sua criação, desde a estrutura até a comida. A experiência de mergulho no mundo do espumante ficou ainda mais abrangente. Nesta edição temos espumante saindo de torneiras no “wine on tap”, espumante de latinha, drinks, geladinhos, pães e doces feitos com a bebida e uma variedade ainda mais rica de vinícolas. Tudo para mostrar sua versatilidade.

O público de um vinho ou um espumante é excludente do público apreciador de outras bebidas fermentadas como a cerveja?

Não necessariamente. Quem aprecia uma boa cerveja, feita com qualidade e riqueza no paladar, geralmente também é conquistado pelo espumante, pois ambas carregam algumas similaridades no processo de produção. Algumas como a DeuS, que estreia nesta edição da SWF, passam inclusive pelo mesmo processo.

“Os espumantes brasileiros carregam uma imensa lista de prêmios e certificações de reconhecimento de qualidade ao redor do mundo”

Como iniciar no mundo dos espumantes? É preciso o acompanhamento de um sommelier?

O acompanhamento do sommelier vai enriquecer seu processo de aprendizado e mostrar os mínimos detalhes de diferenciação entre as uvas, rótulos, regiões, terroir e vinícolas, o que, no fim, te ajuda ainda mais a descobrir o quão rico e minucioso é todo o processo que envolve o espumante. Mas isso não impede que a pessoa inicie seu consumo por conta própria. O que não faltam são artigos e dicas na internet e até nos mercados sobre quais são os rótulos indicados para quem quer iniciar.

Vinhos portugueses, italianos ou argentinos caíram no gosto do público. O Brasil produz vinho ou espumante de qualidade equivalente?

Os espumantes brasileiros carregam uma imensa lista de prêmios e certificações de reconhecimento de qualidade ao redor do mundo. A ideia da feira de apresentá-los junto com os de fora é exatamente mostrar ao público que estamos concorrendo diretamente e que cabe a cada um decidir o que gosta mais. Não é só o Brasil que ganha prêmios e nem é só o que vem de fora que vale a pena consumir. A imposição de que só os nacionais ou só o que é importado é bom é algo prejudicial não só para o mercado, mas também para a experiência de quem quer apreciar a bebida. Se restringir nunca é o caminho para quem se intitula conhecedor ou busca novas experiências.

Sparkling Wine Fair 2018
Onde: Pontão do Lago Sul
Quando: 14 e 15 de setembro, a partir das 18h. Shows a partir das 23h
Ingressos: meubilhete.com 
Antecipados: R$ 90,00 No Local: R$ 120,00
Sem comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.