Saiba tudo sobre nutrição esportiva

Ter uma boa alimentação é fundamental para qualquer pessoa independentemente de qual seja o seu estilo de vida. Escolher os alimentos de olho na tabela nutricional, evitar os enlatados e congelados e investir em verduras e frutas são regras primordiais para quem quer e gosta de se alimentar bem.

Quem tem o hábito de se exercitar precisa ficar muito mais atento à questão da alimentação. Segundo pesquisas, o que você come interfere de 70 a 80% na sua saúde e a comida consegue trazer mais benefícios até mesmo do que a prática de atividades físicas.

O que é nutrição esportiva

A nutrição esportiva é a ciência que estuda os nutrientes e a sua relação com o exercício físico e o desempenho esportivo. Ela envolve a avaliação da necessidade de nutrientes dos atletas e a formulação de planos alimentares que atendam às suas necessidades energéticas e nutricionais.

A nutrição esportiva é importante para o desempenho físico de atletas de todos os níveis, desde os amadores até os profissionais. Ela pode ajudar a maximizar o desempenho durante o exercício, acelerar a recuperação após o exercício e promover o ganho de massa muscular. Além disso, ela também pode ajudar a prevenir ou tratar lesões e doenças relacionadas ao exercício.

A nutrição esportiva é um campo amplo e complexo, e as necessidades nutricionais dos atletas podem variar bastante dependendo da modalidade esportiva, do nível de treinamento e do objetivo de desempenho. No entanto, existem alguns aspectos básicos da nutrição esportiva que são importantes para a maioria dos atletas.

Um dos principais componentes da nutrição esportiva é o consumo de carboidratos. Os carboidratos são a principal fonte de energia para o exercício de alta intensidade e são importantes para manter o nível de açúcar no sangue durante o exercício. Os atletas que se exercitam por períodos prolongados ou intensos podem precisar de uma maior quantidade de carboidratos para manter o desempenho.

A proteína também é um componente importante da nutrição esportiva. Ela é necessária para a construção e reparação de tecidos musculares e pode ajudar a promover o ganho de massa muscular. Os atletas que se exercitam regularmente podem precisar de uma quantidade maior de proteína do que as pessoas sedentárias para manter ou aumentar a massa muscular.

Além de carboidratos e proteína, a nutrição esportiva também envolve o consumo de gorduras, vitaminas e minerais. As gorduras são uma fonte importante de energia para o exercício de baixa intensidade e também são necessárias para a absorção de certas vitaminas e para a produção de hormônios. As vitaminas e minerais são importantes para muitas funções corporais, incluindo a produção de energia, a síntese de proteínas e a manutenção de tecidos saudáveis.

O que comer antes dos exercícios

Tenha em mente que você está prestes a gastar muita energia, principalmente, se for praticante de musculação, os exercícios mais intensos vão exigir uma grande disponibilidade dela.

O mais recomendado é que antes de qualquer atividade física a preferência seja dada ao consumo de carboidratos complexos. Esses alimentos são ricos em fibras que dão maior sensação de saciedade e permitem que a glicose seja disponibilizada de maneira gradual para o organismo. Assim, é possível ficar se exercitando sem correr o risco de sofrer hipoglicemia.

Um erro que algumas pessoas mais desinformadas cometem é ir praticar atividade física em jejum. Isso é típico dos que querem emagrecer e acham que ficar sem comer é a melhor alternativa. Primeiro, é preciso que o mecanismo de armazenagem de energia do corpo seja perfeitamente compreendido.

O nosso organismo, desde que o mundo é mundo, sempre terá como objetivo armazenar energia. Ele faz isso porque é bastante precavido para o caso de algum tipo de acontecimento que pode trazer consigo a falta de comida.

Então, o que acontece é o seguinte: quando deixamos de comer o corpo entende que os momentos difíceis chegaram e que há pouca comida disponível para você. O organismo começa a gastar menos energia que o normal e, em vez de, perder mais peso porque não estamos comendo, armazenamos mais energia.

Além disso, todas as funcionalidades do corpo são afetadas de forma drástica sem os nutrientes necessários, a pele começa a ficar ressecada, o cabelo e as unhas ficam mais frágeis, entre outros.

O que comer depois do treino

Pois bem, você cumpriu a lição de casa e fez os exercícios de acordo com o que estava previsto e agora, as suas energias já estão quase no fim e está na hora de repor tudo. Mas, olhem bem, não para sair da academia e ir direto para um prato de batata frita.

Nesse momento, o seu corpo não está precisando apenas de carboidratos, mas também de proteínas. Quando os músculos estão trabalhando, principalmente se o caso for para proporcionar hipertrofia muscular, ocorrem microlesões musculares que precisam ser reparadas com a adição de novas proteínas.

Assim, no momento em que você retornar da musculação é importante que tenha essa combinação: carboidratos simples + proteínas. Uma boa e fácil alternativa é um sanduíche com pão branco, alface, tomate, cenoura e um bife de frango grelhado ou fatias de peito de peru. Muitas pessoas substituem esse lanche pelo famoso whey protein, que é um suplemento alimentar que traz maior praticidade. O suplemento é interessante para aqueles momentos em que não há tempo de preparar o lanche ou que você não tenha todos os ingredientes em casa, ou seja, é apenas para suprir a falta de outras alternativas mais saudáveis.

Deixe um comentário