Festival Fartura Brasília teve mais de 5 mil pessoas

Festival Fartura Brasília teve mais de 5 mil pessoas

Evento no pontão do Lago Sul reuniu mais de 60 chefs, produtores e especialistas da gastronomia de todas as regiões do país

Cerca de cinco mil pessoas prestigiaram a primeira edição do Festival Fartura – Comidas do Brasil Brasília, realizada neste fim de semana, dias 23 e 24 de março, no Pontão do Lago Sul. O esperado evento serviu cerca de 10 mil pratos, um total aproximado de 3 toneladas de alimentos. O evento reuniu mais de 60 atrações, com chefs e produtores e pesquisadores de gastronomia de todas as regiões do país, além de diversas atrações musicais e culturais.
Na ala de estandes Chefs e Restaurantes, um dos destaques foi o chef brasiliense Thiago Paraíso, do Ouriço, que serviu uma costelinha de porco com molho de jabuticaba e batatas salteadas. O bobó de camarão crocante do chef alagoano Jonatas Moreira também esteve entre os mais pedidos. E o maior sucesso do festival foram os hambúrgueres do Gil Guimarães, que agradaram em cheio ao público.
Quem visitou o espaço Cozinha ao Vivo teve a oportunidade de aprender a receita e degustar na hora um prato com assinatura de MasterChef. É que Pablo Oazen, de Juiz de Fora (MG) e vencedor da edição MasterChef Profissionais 2017, esteve por lá ensinando o passo a passo de sanduíche de fígado de boi com cebola caramelizada, cerveja preta e maionese de ervas. Outro ponto alto foi o timbale de linguado com musse de cogumelos frescos ao molho de prosecco e limão-siciliano, da chef Renata La Porta, de Brasília (DF).
No Espaço Conhecimento, especialistas de todo o país compartilharam experiências com o público, desde os desafios da produção de espumantes do Sul do país, com a sommelière Silvia Gonzaga; os cafés de origem, com o q-grader do Sebrae-MG; os tradicionais doces goianos do chef e pesquisador Gilmar Borges, de Pirenópolis (GO); a bolinho de mandioca poheu, da chef indígena Kalymaracaya, nascida na aldeia do Bananal, em Aquidauana (MS); e o resgaste de causos da culinária brasileira, com o pesquisador gastronômico Breno Lerner, autor do livro “O ganso marisco e outros papos de cozinha”.
O Espaço Interativo, por sua vez, teve diversas aulas. Entre elas, nhoques e pastas feitas à mão, com o chef Luiz Jacob, de São Paulo (SP); o doce gaúcho chimia, com a chef Liliana Andriola, do Mandarinier Gastronomia, de Porto Alegre (RS); e o célebre pain d’epice com caramelo, tradicional bolo francês de especiarias, ensinado pela pâtissier Ana Clóris, do Anita Pâtisserie, de João Pessoa (PB).
Por fim, para levar um gostinho do Fartura pra casa, o público bateu ponto no espaço Produtos e Produtores. Teve molhos de pimenta da Queen of Peppers, de Brasília, cachaça com jambu de Sinimbu, de Belém; e Licores do cerrado e Kombuchas, da Fazenda Taboquinha, de Padre Bernardo (GO), entre outras gostosuras.
No palco, o setlist privilegiou artistas de Brasília, como o saxofonista (e cozinheiro) brasiliense Esdras Nogueira, da banda Móveis Coloniais de Acaju; o trio Muntchako e o grupo de choro Choro Livre. A programação cênica e itinerante animou o evento durante os dois dias, com a Boneca Gigante Fartura, a Trupe Raiz do Circo e o Circo Rebote.
O Festival Fartura – Comidas do Brasil está presente em todas as regiões do Brasil e, em 2019, passa ainda por Porto Alegre, São Paulo, Tiradentes, Belo Horizonte, Fortaleza e Lisboa.
Sem comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.